Operação que investiga servidores do DF suspeitos de lucrar R$ 2 milhões para evitar fiscalização de empresas cumpre mandado em Januária

 

Um mandado de busca e apreensão foi cumprido em Januária durante a operação Olhos Vendados realizada nesta quarta-feira (30). A ação, deflagrada pela Delegacia de Repressão à Corrupção vinculada ao Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (DRCOR/DECOR) no Distrito Federal, contou com a participação da Polícia Civil de Minas Gerais.

"Essa operação é fruto de uma investigação que se iniciou no ano de 2021, quando a gente teve notícias de que auditores fiscais do DF Legal estariam cobrando propina de empresários para não aplicarem multas e retardarem procedimentos dentro do DF Legal. A investigação conseguiu demonstrar que esses auditores investigados receberam quase R$ 2 milhões em suas contas bancárias, valores esses que não têm qualquer relação lícita e que a gente acredita que seja fruto das propinas cobradas dos empresários”, falou o delegado Waldemar Tassara

O que diz o DF Legal

Leia nota na íntegra

"A Secretaria DF Legal informa que confia no trabalho da Policia Civil do Distrito Federal (PCDF) e que tem colaborado, por meio da Secretaria Executiva de Inteligência e Compliance, nas investigações para apurar os indícios de irregularidade encontrados desde o primeiro momento.

O trabalho da secretaria é pautado pela ética e transparência e esta pasta não coaduna com qualquer tipo de ilícito que seja praticado por servidores.

A DF Legal destaca, ainda, que afastou os servidores investigados até que as apurações sejam concluídas.

POR G1 GRANDE MINAS

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mulher sente falta do ex-marido, aciona a PM e homem é encontrado morto dentro de casa em MG

Acidente envolvendo quatro veículos deixa dois mortos na BR-135