Dentista é preso por importunação sexual após ser denunciado por paciente

 

Um dentista, de 46 anos, foi preso suspeito de importunação sexual, em Montes Claros, após ser denunciado por uma paciente, de 15 anos.

O G1 teve acesso ao boletim de ocorrência onde a menina relata que o dentista tentou beijá-la à força durante um atendimento no consultório dele. Ainda segundo o BO, o homem foi encontrado em casa e ao ser informado sobre o motivo da prisão simulou um desmaio.

Ele foi conduzido à delegacia de plantão e foi autuado em flagrante, conforme explica a delegada Karine Maia Costa, responsável pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

“Foi autuado por importunação sexual de acordo com o artigo 215-A do Código Penal quando se pratica com alguém ato libidinoso sem o consentimento da pessoa. Ele permanece preso e a pena para esse crime é de um a cinco anos”.

A adolescente foi ouvida e informou que já era paciente do dentista e marcou uma consulta para arrumar uma faceta que tinha quebrado.

“Ela perguntou por mensagem se teria que pagar porque já tinha feito o tratamento e ele respondeu: Vai pagar com um cheiro e um beijo”.

Ainda de acordo com a delegada, a menina pensou que se tratava de uma brincadeira e foi realizar o procedimento.

“Durante o atendimento, ele ficou elogiando o corpo dela e falou que estava com o corpo quente. Ela relata que ao levantar para pegar a mochila que estava em outra sala, o dentista pediu para beijá-la. Ela disse que não queria e ele insistiu, a abraçou por trás e quando ela se virou, foi beijada no pescoço”.

A delegada esclareceu que o caso não foi registrado como estupro porque não houve ameaça e nem violência. O dentista também foi ouvido na delegacia e negou o crime.

“Ele nega ter tentado beijá-la e abraçá-la, mas não soube explicar se a adolescente teria algum motivo para inventar isso. Ele fala que só pegou na testa dela para medir a temperatura e falou que não estava com febre, mas estava com o corpo quente porque ele estava perto e sentiu. Disse que em nenhum momento a assediou e a mensagem enviada foi em tom de brincadeira”.

A Polícia Civil instaurou um auto de prisão em flagrante delito onde serão produzidas provas e o procedimento será encaminhado à Justiça no prazo de 10 dias. A polícia vai colher depoimento da representante legal da vítima e de testemunhas.

Por G1grande minas

Comentários