Operação de Finados autua 12 motoristas no segundo dia de fiscalizações no Norte de MG


Dezenas de militares farão fiscalizações para prevenir acidentes durante os dias de feriado prolongado no Norte de Minas — Foto: Polícia Militar/Divulgação
A Polícia Rodoviária Militar do Norte de Minas faz fiscalizações nas principais rodovias da região para coibir infrações de trânsito e prevenir acidentes durante o feriado prolongado de Finados, que tem o dia lembrado nesta sexta-feira (2). A PRV informou que apenas nesta manhã, pelo menos 12 condutores de veículos articulados, como caminhões e carretas, foram retidos e autuados por transitarem sem autorização.
Os motoristas são comunicados pelo órgão fiscalizador que não podem rodar em horários de pico durante o feriado, e os que desobedecem a determinação perdem pontos na carteira e recebem multas que têm valor variável. Nesta sexta, era proibido trânsito de veículos articulados das 6h ao 12h; no próximo domingo (4), o mesmo tipo de carreta não deve circular das 16h às 22, segundo a PRV.
Segundo a Polícia Rodoviária Militar, pelo menos 60 militares, por dia, devem participar da Operação de Finados cuidando das rodovias que estão sob responsabilidade da PRV no Norte de Minas; as principais delas são BR-135, MGC-135 e MGC-122. Pontos de fiscalização vão ser espalhados pelos 77 municípios da região vinculados ao órgão.
A PRV informou ainda que a operação conta com apoio de uma aeronave e drones, que devem facilitar que flagrantes de infrações sejam vistos do alto. “Nosso objetivo é prevenir altas velocidades e ultrapassagens forçadas, porque essas medidas podem prevenir acidentes. O policiamento é preventivo para coibir estas práticas que colocam a vida das pessoas em risco, e, além disso, vamos fiscalizar também as estradas para que os criminosos não utilizem as rodovias como rota de fuga”, afirma a major da Polícia Rodoviária Militar, Gracielle Rodrigues.
A Operação de Finados da PRV começou na noite de quinta (1º) e segue até o próximo domingo (4) à noite. Até esta publicação, ninguém foi preso durante as fiscalizações.(g1 grande minas)

Comentários