Foragido da Justiça suspeito de ser chefe do tráfico em Januária é alvo de operação da Polícia Civil

 

A Polícia Civil realizou a Operação Integrare em Januária (MG) nesta quinta-feira (5). A ação, que tinha como alvo principal um foragido da Justiça por latrocínio, contou com o apoio das Polícias Militar e Penal. O homem é suspeito de ser um dos principais chefes do tráfico de drogas em uma região da cidade.

Segundo a Polícia Civil, foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão na Vila Verde e na comunidade rural de Gameleiras. Os locais são ligados aos homem ou às pessoas subordinadas a ele. As equipes apreenderam drogas e dinheiro.

O delegado William Fernandes explica que o homem é considerado de alta periculosidade. Desde a expedição do mandado de prisão em 2019, a Polícia Civil faz levantamentos para localizá-lo.

“As investigações demonstram que ele foi crescendo na criminalidade e dominando o tráfico de drogas na Vila Verde. Tivemos informações de que ele estaria homiziado em uma fazenda invadida, em Gameleiras, e montamos a ação integrada entre as forças públicas de segurança, que contou com a participação de 60 policiais”, fala o delegado.

Segundo William Fernandes, a fazenda foi invadida e loteada pelo homem. Os policiais tiveram informações de que o foragido deixou local poucos minutos antes da chegada das equipes.

Durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, os policiais encontraram R$ 3.500 e uma identidade dentro de uma bolsa que pertence à mulher do suspeito. A mãe dela acompanhou os trabalhos e confirmou que o dinheiro era da filha, que não foi encontrada. á em outro local, a polícia apreendeu um quilo de cocaína na casa de um homem que foi visto deixando a fazenda onde o alvo principal estaria escondido.

Em um lote, que está em nome da cunhada do foragido, os policiais apreenderam pinos de cocaína e material para acondicionar a mesma droga, além de porções de maconha que estavam enterradas. Os pinos foram encontrados escondidos em um muro.

Sobre o linchamento do idoso

Conforme noticiou o G1, em novembro de 2019, a Polícia Civil realizou a Operação Tibério que terminou com a prisão de investigados no linchamento de um idoso de 70 anos.

Inicialmente, as informações eram de que o assassinato teria ocorrido após o idoso tentar abusar sexualmente de uma menor de idade. Posteriormente, as investigações identificaram que a casa da vítima foi, na verdade, invadida por pessoas com o objetivo de roubá-la.

Para o delegado, os levantamentos apontam que os assaltantes eram subordinados ao alvo da operação desta quinta, que conseguiu escapar da prisão durante a operação em novembro.

Chegamos a conclusão de que usaram esse suposto estupro para linchar o senhor com o objetivo de tomar os bens dele”, diz o delegado. Com base nas provas, ficou constatado o cometimento do crime de latrocínio.

Por g1 grande minas

Comentários