Pular para o conteúdo principal

''VI A MORTE DE PERTO'' DIZ MULHER TRANS ESPANCADA POR DONO DE BAR EM MANGA-MG

A transexual Alexia Fabian Meira de Abreu, de 41 anos foi espancada por um homem, no último dia 12 de fevereiro, em Manga, no Norte de Minas. Mas, o boletim de ocorrências foi feito por ela nesta quinta-feira (18). O agressor é dono de um bar, e a agressão aconteceu após a vítima chegar ao estabelecimento e pedir uma bebida. Eu fui recebida com dois socos no rosto. O proprietário me deu um murro do lado direito, eu reclamei e ele me deu outro murro do lado esquerdo”, diz. Alexia completa dizendo que não sabe ao certo o porque da agressão e segundo ela, pessoas que estavam no local ficaram revoltadas. O estabelecimento tem o costume de receber pessoas do Grupo LGBTQI+.

A vítima ligou para a Polícia Militar, mas ninguém apareceu. Com raiva da situação, ela esperou o bar fechar, foi até um posto de combustíveis, comprou gasolina, jogou em uma das entradas do estabelecimento e ateou fogo. “Esperei e nada da polícia chegar, então fiz isso. Eu sei que fui errada e assumo, mas fiquei indignada porque fui e agredida e não tive o atendimento da polícia”.

O estabelecimento não chegou a ser atingido pelas chamas. Nesse momento, o dono voltou ao bar e novamente agrediu Alexia, só que dessa vez com um pedaço de pau e um chicote. Durante a agressão, a bolsa de Alexia caiu no chão, momento em que um homem passou pelo local, roubou os pertences dela e fugiu. A mulher conseguiu escapar das agressões e correu atrás do ladrão, mas não conseguiu encontrá-lo.

Quando voltava para a casa, o dono do bar estava esperando a vítima próximo a câmara de vereadores da cidade, e novamente agrediu Alexia. “Via morte de perto. Se não fosse a polícia que estivesse passado, nessa hora eu não estaria conversando com vocês”.

De acordo com Alexia, apenas nessa terceira agressão é que a polícia apareceu e mesmo assim não permitiu que ela fizesse um boletim de ocorrências. A vítima conta que a guarnição a levou até a Fundação Hospitalar de Amparo ao Homem do Campo, em Manga, onde foi atendida e medicada.  Alexia teve ferimentos por todo o corpo.

Nesta quinta-feira (18), Alexia conseguiu registrar um boletim de ocorrências; ela também procurou a Polícia Civil e espera por justiça. “A Polícia Civil vai investigar o porque a polícia não atendeu no momento do primeiro chamado. Se a polícia tivesse chegado no momento em que eu fiz as três primeiras ligações, durante a primeira agressão, eu acredito que não teria chegado a esse ponto”. Alexia acredita que o fato de não ter sido atendida foi discriminação, por ela ser uma mulher trans.

Webterra tentou contato com a Polícia Militar de Manga para saber porque não foi possível atender ao chamado no dia da agressão, mas até o momento não obtivemos sucesso. A defesa do dono do bar, que agrediu a vítima, também não foi encontrada. Assim que os citados na reportagem forem localizados, esta matéria poderá ser atualizada.

Comoção

A agressão à Alexia gerou comoção e revolta nas redes sociais. A Aliança Nacional LGBTI+, recebeu diversas denúncias sobre o caso e manifestou por meio de nota. A entidade, Através da Coordenadora Adjunta Estadual em Montes Claros-MG, Letícia Ferreira Imperatriz, repudiou o ato de violência.

“No Brasil “chegamos a 151 assassinatos de pessoas [trans] nos dez primeiros meses de 2020. Nesse mesmo período já temos 22% mais mortes do que o ano de 2019 inteiro, onde tivemos 124 assassinatos. É possível perceber que os
direitos fundamentais dessas minorias populacionais, não estão sendo respeitados”, lembrou a nota.

A entidade ressaltou ainda que “desde 13 de junho de 2019, as violências  físicas e/ou verbais justificadas pela aversão à identidade sexual ou de gênero das pessoas LGBTI+, configuram-se, de acordo o Supremo Tribunal Federal (STF), enquanto crimes de racismo que ferem a dignidade e o princípio da igualdade humana garantidos pela Constituição Federal de 1988”.

A Aliança afirmou que vai acompanhar o caso e que espera que o agressor seja penalizado.

fonte:webterra.com.br

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ACIDENTE NA BR 135 NA COMUNIDADE DO FABIÃO2 EM ITACARAMBI DEIXA CASAL FERIDOS.

fotos whatsap Um acidente de carro envolvendo um veículo   de passeio e um caminhão aconteceu agora a tarde na BR 135 entre a comunidade do Fabião 2 e Itacarambi. No acidente ficou ferido um casal. O motorista do carro, foi removido num helicóptero para Hospital de Montes Claros. A moça ficou ferida mas não corre risco de morte. Aguardem outras informações. Por JPI

Pesquisadores tentam identificar animal encontrado morto em praia da Espanha

Especialistas da fauna marina estão trabalhando para identificar a carcaça de um animal encontrado em agosto, em uma praia de Almería, na Espanha. A criatura tem chifres e mede entre quatro e cinco metros de comprimento. De acordo com autoridades locais, o animal estava em estado de decomposição avançado, o que vem dificultando a identificação. As informações sobre a criatura foram compartilhadas com vários especialistas para tentar fazer a identificação.(r7)

Menores são detidos com moto roubada em Itacarambi; vítima foi encontrada ferida no sofá de casa

  Dois adolescentes, de 13 e 14 anos, foram apreendidos por ato infracional análogo ao crime de roubo em Itacarambi (MG) nesta quinta-feira (5). Segundo a Polícia Militar, a vítima do roubo é um homem, que foi encontrado dentro de casa com ferimentos graves, deitado no sofá. A PM foi chamada por guardas noturnos que suspeitaram dos menores ao se depararem com uma moto abandonada perto de onde eles estavam. Ao serem questionados, os jovens disseram que estavam fugindo de uma pessoa que teria abandonado o veículo após persegui-los. Os policiais fizeram a consulta da placa e descobriram que a moto não tinha queixa de roubo/furto e pertencia a um morador do Centro. Os adolescentes confirmaram que pegaram o veículo e disseram ainda que estavam na casa do homem e o agrediram com tijoladas na cabeça porque ele teria tentado abusar sexualmente deles. O celular da vítima também estava com eles. Em seguida, os militares foram até a residência do homem, onde o encontraram ferido no sofá. Al