ITACARAMBI: DESAPARECIMENTO DE GAROTA REABRE UM LEQUE DE COMO AS MÃES DEVEM RELACIONAR-SE COM FILHA ADOLESCENTE.

foto ilustrativa
Nesta quinta-feira (27), a notícia estampada na imprensa local, referente o desaparecimento da adolescente Azélia de 15 anos, abriu um leque de como está o relacionamento de mãe e filha?

Isso serve para que o diálogo e a convivência de ambas devem ter um laço de amizade maternal.
Segundo um estudo divulgado na revista Família, Em um relacionamento mãe e filha, não há espaço para mentiras ou compromissos ocultos. As linhas de comunicação devem permanecer abertas. Não tenha medo de falar a verdade. Se você sente que sua filha é muito jovem para entender um assunto específico, tente explicar a situação com discrição, mas mantendo a verdade. Honestidade também se aplica à filha. Abstenha-se de mentir para sua mãe. Mães estão em nossas vidas por muitos motivos, incluindo nos proteger e nos ajudar durante os momentos bons e maus. Esconder ou mentir, independentemente do assunto em questão, nunca é uma boa ideia.
É desta forma que muitas famílias vivem em decadência, onde a filha ou filho tomam em si as decisões ainda cedo, pensando que o mundo lá fora é de mil maravilhas, que os ‘’AMIGOS’’ vão ajuda-lo de forma fraternal. É um grande engano, os pais tem que manter sempre ao lado do adolescente, e explicar para eles que a situação lá fora não está muito boa.
Procurar conversar com a filha e saber como anda as coisas, na escola, com os colegas, explorar o possível em saber como ela está indo nas matérias lecionadas, se tem tirado notas boas.
Isso é um reflexo de que no caminhar da carruagem, sua filha poderá se abrir melhor para você. A mãe e filha tem que seguir um caminho de união, amizade dividindo o mesmo espaço com sorriso, abraço e dedicação.
Porque muitos adolescentes saem de casa? Porque não está tendo um bom relacionamento com os pais. Principalmente quando o LAR se transforma num ringue, onde a contenda envenena o relacionamento dos pais. Conviver com uma situação desta é a mesma coisa de transformar a vida da filha num lodaçal de terror. O filho irá crescer revoltado e violento.
 Para a psicóloga Sarah Pierina, sempre ouça sua filha quando ela vier lhe pedir um conselho ou apenas conversar. Nunca a dispense porque você está se sentindo exausta ou sobrecarregada. Sua filha precisa de uma amiga, e se ela estiver procurando uma amiga em você, esse é um bom começo para uma relação positiva.
O vínculo entre mãe e filha nunca deve ser ignorado ou colocado de lado. Construir laços fortes é saudável e revigorante. Na vida, quando você sente que não pode confiar ou depender de ninguém em seu mundo, lembre-se sempre de sua mãe, ou de sua filha, é uma pessoa a quem você pode sempre recorrer sem hesitar.
Enfim, este é o momento em que a família precisa pensar, para que o relacionamento Pai e Filho não venham se transformar numa bola de neve.
Por Vailton Ferreira


Comentários