Inédito: Ministério Público devolve R$ 3 milhões desviados de 4 municípios do Norte de Minas por atos de corrupção



MONTES CLAROS-MG. A Promotoria de Justiça de Januária e a Procuradoria Regional de Combate aos Crimes Praticados por Agentes Políticos devolveram nesta sexta-feira, 10 de agosto, R$ 3 milhões que haviam sido desviados de quatro prefeituras do Norte de Minas por atos de corrupção. A solenidade ocorreu na sede do Ministério Público, em Montes Claros.
Recuperar dinheiro público desviado por atos de corrupção é difícil e o feito, inédito na região, é mais um desdobramento da operação “Vidas Secas”, deflagrada há seis anos pelo MPMG e Polícia Federal, para desarticular organização criminosa especializada em desviar recursos de prefeituras. A quantia foi apurada a partir da venda de imóvel entregue por um dos cabeças do esquema de corrupção, o negociante Marcos Vinícius Crispim, o Corbi, de Januária, preso pela PF em 2013.
Os promotores Franklin Reginato e Paulo Vinicius Magalhães Cabreira destacaram o simbolismo do ato. Eles lembraram que em tempos de descrença generalizada da população, para a qual vigora o conceito de que o combate à corrupção acaba não resultando em nada, a devolução desses recursos prova exatamente o contrário.
Os municípios de Itacarambi e Cônego Marinho receberão R$ 1 milhão cada. Patis e São João da Ponte receberão R$ 500 mil cada. A verba é do tipo “carimbada”, ou seja, só poderá ser aplicada nos projetos previamente apresentados pelos municípios, não podendo ser destinadas a outras finalidades.
A prefeita de Itacarambi, Nívea Maria de Oliveira, (PTB) informou que os recursos destinados ao município serão integralmente aplicados em pavimentação de ruas, para livrar da poeira e da lama dezenas de moradores de diversos bairros da cidade. Estiveram presentes os vereadores itacarambienses Bruno Tiago Farias Fernandes (PRB), o Buguinha, Dimas Brasileiro (PHS), Fernando José dos Santos (PTB), o Fernandão do Som, Alberto Lopes dos Santos (PMDB), o Bertão.

Comentários