Polícia destrói cerca de 41 bananas de dinamite encontradas nos escombros de agência bancária em Capitão Enéas

Militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), de Belo Horizonte, destruíram os explosivos (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
Cerca de 41 bananas de dinamites foram destruídas na tarde desse domingo (1º), em Capitão Enéas, pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Militar, os explosivos foram encontrados nos escombros da agência que foi danificada com a explosão de um caixa eletrônico, na sexta-feira (29).
“É um grande quantidade de explosivo e que tem um grande potencial de destruição; poderia destruir ainda mais a agência, além de colocar em risco a vida das pessoas”, explicou o Tenente Paulo Matos, subcomandante do esquadrão antibombas do BOPE.
As dinamites estavam embaladas em sete explosivos e foram localizadas por um funcionário que fazia a limpeza do local, na manhã de sábado (30). O local foi isolado até a chegada dos militares especializados para operação; eles foram até uma área deserta na cidade, um explosivo foi detonado e o restante foi desativado por queima, técnica sem detonação.
Entenda o Caso
Dinamites estavam embaladas em sete explosivos e tinham grande potencial de destruição (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
Aproximadamente 10 homens explodiram o caixa eletrônico de uma agência em Capitão Enéas, na madrugada de sexta (29). Durante a ação, as casas dos militares foram cercadas pelos criminosos, impedindo que os policiais agissem.
Na fuga, a Polícia Militar localizou os homens em um carro em uma rodovia no Povoado de Miralta; houve troca de tiros e um suspeito, de 23 anos, foi atingido no abdômen. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado até um hospital da cidade, onde continua internado sob escolta policial. De acordo com a assessoria, o quadro de saúde dele é estável.
No carro, foram apreendidos malote com dinheiro, explosivo e seis armas, entre elas fuzil e submetralhadores montados artesanalmente. Ainda durante o rastreamento, um rapaz de 23 anos e um adolescente, de 17, foram detidos suspeitos de passarem informações sobre a moradia dos militares para a quadrilha. A Polícia Civil investiga o caso.(G1 GRANDE MINAS)


Comentários