Maurílio Arruda é condenado a nove anos de prisão por fraudes em licitações em Januária



O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) divulgou nesta quarta-feira (22) a condenação de Maurílio Arruda, ex-prefeito de Januária, no Norte de Minas. Na sentença da 2ª Vara Criminal de Januária, Maurílio foi condenado a nove anos de prisão por associação criminosa, desvio de verbas e lavagem de dinheiro. O MPMG recorreu da decisão pendido o aumento da pena.
Arruda é apontado pelo MPMG como o chefe de grupo que atuou em fraudes contra a administração pública. A denúncia aponta que o grupo fraudou pelo menos sete procedimentos licitatórios no município.
O MPMG diz ainda que Maurílio Arruda lavou o dinheiro desviado adquirindo imóveis. Ele está preso preventivamente.
Outras quatro pessoas foram condenadas no mesmo processo a penas que variam de três anos e sete meses a quatro anos e dois meses. O MP afirmou ainda que penas destes envolvidos “foram substituídas por prestação de serviços à comunidade e prestação pecuniária de cinco a 10 salários mínimos”.
Segundo o advogado Ernesto Queiroz de Freitas, que defende Maurílio Arruda no processo, seu cliente foi inocentado por fraude em licitação e já recorreu pedindo absolvição nas outras acusações. Ele afirmou ainda estar surpreso com a divilgação da sentença, feita pelo MPMG, já que o caso foi julgado há mais de um mês. (G1 GRANDE MINAS)

Comentários