Sumiço de criança assusta Mirabela

Delegacia de Mirabela - criança teria sofrido um bloqueio de memória
O sumiço de uma menina de 8 anos em Mirabela, na noite da última terça-feira, assustou a população da pequena cidade. Graças à mobilização dos moradores, que foram às ruas e postaram sobre o desaparecimento nas redes sociais, a polícia encontrou a menina em rua deserta chorando, quatro horas depois de a família ter denunciado o sumiço à polícia. Mas, embora a criança tenha sido localizada, o caso ainda é um mistério na cidade.
Tudo começou quando a Polícia Militar da cidade registrou uma ocorrência em que a criança teria sido raptada por um homem. De acordo com os militares, o autor teria convencido a menina a entrar no carro, com o argumento de que em troca lhe daria como presente um celular. Rapidamente, a notícia circulou em grupos nas redes sociais. Pais, amigos e familiares saíram às ruas à procura da garota, que tem olhos e cabelos claros.
Os militares relataram que uma professora passava por uma rua deserta e encontrou a menina perdida, chorando e muito confusa. Segundo informações da PM, a vítima não se lembra de nada do que aconteceu após ter entrado em um carro.
Os policiais encaminharam a menina para o hospital da cidade e posteriormente para o Instituto Médico Legal (IML) de Montes Claros, onde se submeteu a exames que pudessem identificar algum tipo de violência, incluindo sexual.
O laudo apontou que a menina não sofreu agressão nem abusos. A suspeita é a de que o homem tenha desistido da ação, devido à repercussão do sumiço da criança nas redes sociais.
O que chama atenção dos policiais é o fato de a criança não se lembrar de detalhes sobre o suspeito, como características físicas, a cor ou modelo do carro.
A suspeita é de que a menina tenha sofrido algum tipo de bloqueio que, de acordo com a psicóloga Joseny Marcondes, é comum acontecer em casos graves de violências psicológicas.
“Não sabemos como ela foi levada, o que aconteceu enquanto estava desaparecida. Talvez a vítima esteve em algum outro local, pode ter sido ameaçada. A tendência é que, com o tempo ou terapia, ela se recorde aos poucos”, afirmou.
A polícia não tem nenhuma informação sobre o suspeito. Também não foi instaurado inquérito na Polícia Civil, pois, segundo o delegado Giovani Sierri, o caso não é considerado como sequestro e a vítima não sofreu agressões físicas.(onorte.net)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TRAGÉDIA NA BR 135 EM ITACARAMBI, DUAS VÍTIMAS FATAIS.

DOIS HOMICIDIOS EM MENOS DE 24 HORAS EM ITACARAMBI.

HOMICÍDIO EM ITACARAMBI NA QUARTA-FEIRA DE CINZA