Norte de Minas Gerais recebe 4,5 mil testes rápidos de coronavírus


Teste rápido para o novo coronavírus é feito em domicílio em João Pessoa — Foto: Divulgação/Secom-PB
O Norte de Minas Gerais começa a receber nesta terça-feira (28) os 4,5 mil testes rápidos para a detectar a infecção por Covid-19. O repasse será feito para os municípios que compõem a Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros e as Gerências Regionais de Saúde de Pirapora e Januária.
Segundo as informações divulgadas pela SRS de Montes Claros, os testes serão destinados aos idosos com síndrome gripal e aos profissionais de saúde e da segurança pública em atividade. Pessoas que residem nos mesmos domicílios que esse público-alvo também podem ser testadas.
A SRS de Montes Claros vai receber 3.300 testes. As GRS's de Pirapora e Januária receberão 320 e 900, respectivamente. Setenta e sete municípios serão beneficiados.
Segundo informações divulgadas pela assessoria de comunicação da SRS, os testes rápidos devem ser usados oito dias após os pacientes apresentarem sintomas. O resultado sai em 15 minutos e leitura deve ser feita obrigatoriamente por profissionais de saúde de nível superior ou técnico com supervisão de nível superior.
A SRS alerta que todos os resultados, positivos ou negativos, devem ser informados na plataforma de casos suspeitos eSUS-VE.
Testes em drogarias e farmácias
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta terça-feira (28), a realização de testes rápidos de diagnóstico de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, em farmácias e drogarias. Com a decisão, os testes deixam de ser feitos obrigatoriamente apenas em hospitais e clínicas.
A medida foi aprovada pela diretoria da agência por unanimidade em caráter temporário, enquanto durar a situação de emergência de saúde pública nacional, decretada em 4 de fevereiro. A autorização passará a valer a partir da publicação de uma resolução da diretoria colegiada no Diário Oficial da União.
Farmácias são estabelecimentos que vendem e manipulam remédios. As drogarias, só vendem. A presença de um profissional farmacêutico é obrigatória em ambas.
Os testes deverão serão feitos no local e o resultado deverá ser interpretado por um profissional de saúde, juntamente com outros dados do paciente.
O teste rápido (ensaio imunocromatográfico) é auxiliar no diagnóstico, mas não possui finalidade comprobatória - ou seja, não servirá para a contagem de casos do coronavírus no país. Isso acontece porque há possibilidade de que o teste apresente "falso negativo". Isso pode ocorrer se o paciente for testado no estágio inicial da doença em razão da ausência ou de baixos níveis de anticorpos de Sars-CoV-2 na amostra.(G1 GRANDE MINAS)


Comentários