AMAMS e CNM lutam em prol de interesses municipalistas

AMAMS e CNM lutam em prol de interesses municipalistas


Foto: André Oliveira

A Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene - AMAMS participou da mobilização realizada em Brasília, com a finalidade de sensibilizar o Governo Federal para a liberação de dinheiro extra para as Prefeituras, o que poderá viabilizar o pagamento do 13º salário dos servidores em muitos municípios. O presidente José Reis, prefeito de Bonito de Minas, participou da programação organizada pela Confederação Nacional dos Municípios - CNM, que resultou no compromisso de que ainda esse ano serão repassados R$ 2 bilhões aos municípios. O presidente Michel Temer assumiu esse compromisso durante a reunião com os prefeitos, no Palácio do Planalto, quando foi pedido o Apoio Financeiro aos Municípios - AFM ainda neste mês.
O presidente da AMAMS, José Reis, afirma que a entidade nunca deixou de participar dessas campanhas, ainda mais que esse repasse aliviará a situação de várias Prefeituras, além de permitir o pagamento do 13º salário. Ele acredita que mesmo faltando apenas 17 dias para terminar o ano, esse repasse do Governo Federal socorrerá as Prefeituras. Na solenidade, o presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Paulo Ziulkoski, apresentou as pautas de reivindicação de vários prefeitos e entidades municipalistas.

No caso do apoio financeiro, o presidente da República justificou que, “a liberação do valor só será possível por que nós conseguimos fazer a economia crescer, por isso foi possível liberar esses R$ 2 bilhões aos prefeitos, para eles também fecharem suas contas”. Temer afirmou que é urgente um novo pacto federativo que redistribua os recursos entre União, Estados e Municípios, mas, enquanto isso não acontece, ele afirmou que o governo deve continuar o apoio aos Municípios. “Se a economia continuar a crescer, vamos repetir ou aumentar a dose o ano que vem”, garantiu.

Ziulkoski aproveitou a oportunidade para alertar o governo federal quanto a outros pleitos que são de urgência para os Municípios. Entre eles, o projeto que cria piso para os agentes comunitários de saúde que deve onerar ainda mais as administrações municipais. Ele destacou que é necessário mostrar aos parlamentares os impactos que o projeto deve gerar para a União e para os Municípios. Sobre o Piso do Magistério, ele criticou a forma de reajuste e apontou para a importância de mudar esse critério.
A derrubada do veto ao Imposto sobre Serviços (ISS) também foi lembrada pelo presidente entre as conquistas festejadas pelo movimento municipalista. Outra conquista foi em relação aos precatórios, aprovado pelo Congresso e que aguarda sanção presidencial. Foi falado também sobre a aprovação da Lei Kandir e do 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para setembro.
“Os Municípios gastam hoje R$ 58 bilhões, ou seja, cerca de 12% da receita para custear os programas federais. Os governos foram criando programas e os Municípios não conseguem fechar as contas lá na ponta”, frisou o presidente da CNM.
Montes Claros, 13 de dezembro de 2017
ascom AMAMS

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Governo Federal anuncia que vai asfaltar trecho da BR 135 entre Itacarambi, São João das Missões e Manga

Prefeita visita obra no Parque de Exposições em Itacarambi

FALECEU NO INÍCIO DESTA NOITE EM BRASÍLIA-DF O PREFEITO ZÉ GALEGO DE BONITO DE MINAS,

PREFEITA DE ITACARAMBI SOLTA NOTA DE PESAR PELO FALECIMENTO DO AMIGO ZÉ GALEGO PREFEITO DE BONITO DE MINAS

Mulher é agredida e mantida em cárcere privado pelo namorado em Montalvânia