Advogado condenado por estupro de vulnerável é preso em Várzea da Palma


Um advogado de 58 anos foi preso nessa quarta-feira (4) em Várzea da Palma, no Norte de Minas. Segundo a Polícia Civil, Geraldo Magela Louzada foi condenado por estupro de vulnerável, crime cometido há cerca de 15 anos.
Segundo a denúncia, feita no ano de 2003, Geraldo costumava frequentar a casa da vítima e fazia propostas de relacionamento com ela; uma mulher que possui deficiência intelectual, de acordo com a polícia. No dia do crime, segundo a denúncia, o autor retornou à casa da vítima, a convidou para entrar em seu carro e os dois foram até um matagal, em uma plantação de eucalipto, onde cometeu o crime. Ainda na denúncia, o estupro provocou risco de morte à vítima, que precisou ser hospitalizada.
A Polícia Civil informou que o processo que julgou o caso já percorreu todas as instâncias nos Tribunais Superiores. O mandado de prisão foi expedido nessa quarta e investigadores localizaram o advogado no Centro da cidade. Durante o cumprimento do mandado, Geraldo resistiu à prisão e precisou ser algemado para ser conduzido à delegacia.
A OAB afirmou que durante o cumprimento do mandado de prisão todos os direitos do advogado foram preservados. Por telefone, o advogado Felipe Daniel Machado, que defendeu o acusado durante o processo, afirmou que acredita na inocência do acusado.
"Nem sempre a legalidade e a Justiça andam lado a lado. A defesa sustenta a inocência do Geraldo Magela mesmo diante da condenação. Contudo, decisão judicial deve ser cumprida e o Geraldo Magela irá cumprir exatamente o que foi determinado".
Ainda segundo Felipe Machado, a condenação do seu cliente foi de seis anos. "O cumprimento tem o início em regime aberto e, considerando a data do fato, após o cumprimento de um sexto da pena, Geraldo Magela alcançará o regime aberto"(G1 GRANDE MINAS)


Comentários