Fiscalização no período da Piracema é intensificada nos rios do Norte de Minas

Período da piracema se estende até o último dia de fevereiro de 2018 (Foto: Policia Militar Ambiental / Divulgação)
O período da piracema começou a valer desde o início de novembro em todo o país e no Norte de Minas a fiscalização também passou a ser maior. A determinação, que se estende até o último dia de fevereiro de 2018, tem objetivo de permitir que os peixes que sobem as corredeiras consigam se reproduzir em trechos de águas mais calmas.
Nos primeiros dias da operação piracema, que permanecerá até o dia 17 de dezembro, no trecho do Rio São Francisco do município de Ibiaí até o Rio Carinhanha, na divisa com o estado da Bahia, foi apreendido 15kg de pescado irregular, 3.782 metros lineares de redes de pesca, duas tarrafas e cinco anzóis.
Entre o trecho das cidades de Pedra de Maria da Cruz e Itacarambi, também banhados pelo São Francisco, os militares relataram ter apreendido também redes de pesca e tarrafas; a quantidade total não foi informada. Os proprietários dos materiais não foram encontrados.
De acordo com a PM, anualmente antes e durante o período da piracema diversas ações são realizadas a fim de conscientizar a população.
“São feitas reuniões, palestras, com o cunho informativo aos pescadores profissionais e amadores, e as comunidades ribeirinhas do Rio São Francisco, com o intuito de coibir o pescado ilegal" conclui o sargento da PM Ambiental, Roberto Rodrigues de Mattos.
As ações neste período ocorrem de forma integrada com o Instituto Estadual de Florestas. Segundo a Polícia Militar Ambiental, durante as fiscalizações do período, caso haja o descumprimento das normas podem ser geradas multas e até detenção por crime ambiental. Os valores das multas variam de acordo com a quantidade de peixe pescado e a forma com que a atividade foi realizada.

Ainda segundo a polícia, somente é permitido à pesca de subsistência, ou seja, quando o pescado é usado para a alimentação da família, relembrando que esses pescadores devem possuir a autorização cedida pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).(G1 GRANDE MINAS)
Apreensão de redes de pesca, tarrafas e anzóis  (Foto: Policia Militar Ambiental / Divulgação)

Comentários