Mulher é condenada a mais de 25 anos de prisão por homicídio e tortura da filha em Bocaiuva

Júri popular começou por volta das 9h no Fórum de Bocaiuva (Foto: Alexandre Nobe/ Inter TV)
A Justiça de Bocaiuva, no Norte de Minas, sentenciou na noite dessa sexta-feira (23) a condenação de Jennifer Michelle Fonseca a 25 anos, 3 meses e um dia de prisão pelo assassinato e tortura da filha, morta em outubro de 2016. O júri popular começou por volta das 9h e a sentença foi anunciada às 23h30. Jennifer já estava presa desde a época do crime, quando foi detida em flagrante, e teve pedido de prisão domiciliar negado.
 Geovana foi encontrada morta em outubro de 2016 (Foto: Reprodução/Inter TV)
Entenda o caso

Geovana Gabriela Fonseca Meneses, de sete anos, foi encontrada morta dentro de uma casa no Bairro Pernambuco. No dia do crime, Jennifer disse que a filha tinha o hábito de se machucar e contou que a criança havia ingerido água do vaso sanitário, e por isso teria dado remédio para ela. A menina apresentava feridas pelo corpo e uma lesão no pulso. A mãe e o padrasto, de 28, foram conduzidos para a delegacia e autuados em flagrante. Dois dias após o crime, o laudo do exame feito no corpo da criança apontou que a causa da morte foi por um traumatismo cranioencefálico, com hemorragia cerebral. Em entrevista ao G1, o delegado do caso explicou na época que o resultado derrubou a tese apontada pela mãe e que, em depoimento, o padrasto afirmou que as agressões aconteciam todos os dias. No depoimento, ele se defendeu dizendo que nunca interveio por não ser o pai da criança.
O padrasto de Geovana aguarda o julgamento em liberdade; ele é acusado de ter participação na morte da menina.(G1 GRANDE MINAS)



Comentários