“Barrigada” da Globo põe Itacarambi, MG, entre municípios que estouraram o teto de gastos com pessoal

Imagem extraída do site do TCEMG relativa ao percentual gasto por Itacarambi com pessoal em 2018: 52,5%

Uma “barrigada” jornalística da Globo News colocou Itacarambi, MG, em primeiro lugar na de 1,4 mil cidades que ultrapassaram o limite de gastos com pessoal em 2018.
Tecnicamente, em jornalismo, a “barriga” ocorre quando divulgada uma informação equivocada. Um dos casos mais famosos de “barrigada” foi protagonizado pela revista Veja que, em 1983, publicou uma notícia científica, retirada da revista inglesa New Science, como sendo verdadeira, quando, na verdade, se tratava de uma brincadeira do dia 1º de abril (Dia da Mentira). De acordo com a publicação inglesa, dois biólogos de Hamburgo, na Alemanha, teriam fundido pela primeira vez células animais com células vegetais – as de um tomateiro com as de um boi – formando o “boimate”.
A reportagem sobre os municípios que estouraram o teto de gastos com pessoal, da jornalista Mariana Queiroz, foi ao ar ontem, terça-feira, 18 de dezembro, baseada em um levantamento feito pela FIRJAN – Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. Assista a reportagem no link: http://g1.globo.com/globo-news/jornal-globo-news/videos/v/mais-de-14-mil-cidades-ultrapassam-limite-de-gastos-com-pessoal-em-2018/7242223/

O limite de gastos com a folha de pagamento está previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e não pode ultrapassar 60% das receitas do município, explica a secretária municipal de Finanças de Itacarambi, Cleonice Pereira dos Santos.

O site do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG), não consulado pela reportagem, informa que em 2017, o gasto da Prefeitura de Itacarambi com pessoal ficou em 55,7% (imagem abaixo) e, em 2018, em 52,7% da receita corrente líquida, abaixo do índice permitido pela LRF, ao contrário do que divulgou a Globo News.
O departamento jurídico da Prefeitura de Itacarambi entrou em contato com a Globo News e com o departamento de economia a FIRJAN, pedindo a correção da informação, mas até o início da noite de hoje, não obteve resposta.
por Fábio Oliva

Comentários