Pimentel afirma que governo tucano deixou o estado “quebrado”, rebatendo críticas de Anastasia

governo-de-minas-divulga-nota-sobre-processo-de-impeachment-de-fernando-pimentel.jpg

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), pré-candidato à reeleição, após receber críticas duras do senador Antonio Anastasia (PSDB), pré-candidato ao cargo do Executivo, resolveu respondê-las.
Na entrevista concedida ao portal Bhaz, na noite dessa quinta-feira (26), em Belo Horizonte, Pimentel enfatizou que o governo tucano deixou o estado “quebrado”. Segundo o petista, no decorrer do período de 12 anos do governo tucano, nenhuma providência foi tomada para reestabelecer a situação financeira do Estado, que hoje possui déficit de R$ 8 bilhões ao ano.
Pimentel ainda chamou de “conversa fiada” o que os tucanos denominaram de “choque de gestão” nas contas públicas. O governador de Minas ainda explicou que o escalonamento dos salários dos servidores apenas será resolvido em um período mais longo com reformas estruturais.
Na última segunda-feira (23), durante convenção do PSD, Anastasia aproveitou para criticar a decisão de Pimentel, que resolveu desativar o Palácio de Tiradentes, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. Anastasia disse que o atual governo fechou os olhos para o vetor norte, espaço que o governo tucano planejou levar desenvolvimento por 12 anos.  Respondendo as críticas, Pimentel afirmou que “enterraram ali R$ 2 bilhões” e ainda chamou a Cidade Administrativa de “monumento à má gestão”. De acordo com Pimentel, apenas o gasto com ar-condicionado anual da sede chega a R$ 10 milhões.
O governador de Minas aproveitou para falar sobre a prisão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, que, segundo ele, foi “injusta”. Pimentel ainda fez referência às intenções de voto que Lula receberia (40%).(agência Amirt)

Comentários