MP investiga desvio de função de agentes penitenciários

Promotoria Montes Claros (Foto: Juliana Peixoto/G1)
O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), com o apoio da Polícia Militar, realizou operação de cumprimento de mandado de busca e apreensão em uma empresa de capitalização em Montes Claros. De acordo com o coordenador do Gaeco, a operação investiga desvios de função de agentes penitenciários para exercer segurança armada em empresas privadas.
Foram apreendidos documentos do controle financeiro, equipamento de gravação das imagens do prédio e materiais de informática. O cumprimento dos mandados ocorreu nessa segunda-feira (4).
“A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Montes Claros investiga desvios de alguns agentes penitenciários que estariam fazendo vigilância armada para empresas privadas. Estes funcionários se valem de atestados médicos falsos para afastá-los de suas obrigações ordinárias nas unidades prisionais onde deveriam exercer, com exclusividade, suas funções, a fim de ter liberdade para trabalhar para empresas privadas. O Gaeco atuou em algumas diligências apoiando as investigações em andamento na referida promotoria e confirmou uma série de desvios por parte de um grupo de agentes penitenciários", explicou o promotor Flávio Pinheiro.
A empresa fica na Avenida Deputado Esteves Rodrigues. Durante o cumprimento dos mandados, os militares e os analistas do MP constataram que dois agentes penitenciários estavam no local, armados; eles foram encontrados trancados no banheiro e não explicaram o motivo de estarem na empresa.
O que diz a Seap
Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) que não teve participação nas investigações e ainda não foi comunicada sobre o fato. Ainda segundo a nota, a SEAP aguarda o envio das informações por parte do Gaeco, para então abrir um procedimento administrativo disciplinar e apurar o fato no âmbito administrativo.(g1 grande minas)


Comentários